Caelis

Notícias

Arriscar-se não é o mesmo que fazer coisas difíceis

Também venho dizendo que sinto como se eu não tivesse uma grande ideia ou não estivesse fazendo algo difícil. Por um bom tempo eu pude identificar imediatamente uma meta principal a qual buscava e que necessitavam muita atenção, investimento e sacrifício.

Mas na tentativa de avançar e fazer algumas mudanças, eu venho cometendo um erro: arriscar-se e fazer coisas difíceis não são necessariamente a mesma coisa.

Isto pode ser óbvio para você (o óbvio geralmente passa despercebido por mim), mas para mim, pensar sobre a distinção ajuda. Alguns riscos são fáceis, algumas coisas difíceis não são riscos.

Correr uma ultramaratona, por exemplo, é muito difícil. Mas não é necessariamente arriscado. Não quero dizer que é apenas questão de adicionar mais um quilômetro cada semana à sua corrida regular de final de semana, porque há mais que isso. É, acima de tudo, difícil. Mas o que você realmente se arrisca a buscar? A decisão é algo com foco e sacrifício, não a possibilidade de perda.

Agora, em relação ao risco. Vamos dizer que você entra em um cassino e aposta uma quantia muito alta de dinheiro na roleta. A aposta não é apenas “dinheiro para diversão”, é realmente mais do que você pode arcar em perder tranquilamente. Essa ação é inerentemente arriscada, porque a possibilidade de perda drástica é real. Mas do mesmo modo que correr 80 quilômetros não é necessariamente arriscado, apostar uma boa quantidade de dinheiro em jogos de azar não é difícil. Tudo que você tem que fazer é colocar o dinheiro na mesa.

Porque se você é como eu, ocasionalmente cheio com um senso de frustração ou descontentamento, você pode não imediatamente reconhecer que risco e desafio nem sempre estão conectados. Se você quiser um e não o outro, mas você busca alívio no errado, você não estará nem um pouco melhor.

Ou se você quiser os dois - risco e desafio - você tem que ter certeza de encontrar uma meta difícil que também envolva a possibilidade de perda real.

Ah, e não pense necessariamente que a meta é sempre buscar coisas que são tanto arriscadas quanto difíceis. Pessoalmente eu acredito que a meta é saber o que você quer claramente.

Para mim, neste momento, eu acredito que eu saiba qual deles eu preciso. Eu já fiz muitas coisas difíceis, mas elas geralmente foram buscadas sem a possibilidade de perda. Eu sou motivado por desafio, mas desafio pelo desafio parece insuficiente no momento.

Em outras palavras, preciso me arriscar mais.

veja também Veja Também